EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE PÚBLICA

Sensibilizar as novas gerações para a importância do território e do património cultural.

A PNAP foi aprovada pelo Conselho de Ministros em 2015 no âmbito das políticas de ordenamento do território, para promover a concepção arquitectónica e urbanística num ambiente construído com qualidade e identidade local, preservar a melhoria da qualidade do património construído e , fazer uma gestão criativa e partilhar Políticas exemplares de construções públicas. O diploma prevê também o desenvolvimento de programas específicos para a implementação da PNAP, que a Fundação Serra Henriques tem desenvolvido em cooperação com a Direcção-Geral do Património Cultural, a Direcção-Geral do Território, a Ordem dos Arquitectos e a Associação Portuguesa de Arquitectos Paisagistas.

Sendo a Fundação Serra Henriques parceiro de implementação da PNAP, estabeleceu uma colaboração com a Escola Secundária Padre António Vieira e a Escola dos Mestres (EM) de ensino recorrente, para estudar a integração destas temáticas nos programas escolares e estimular uma cultura de cidadania.

Neste contexto e desde 2018, a Escola dos Mestres faz parte de uma iniciativa pioneira e inovadora promovida pela Ordem dos Arquitetos (OA) e inserido nas Escolas do Conhecimento da Fundação Calouste Gulbenkianque assenta em dois grandes pilares: as Medidas de Educação da Política Nacional de Arquitectura e Paisagem (PNAP)e a utilização de ferramentas da criatividade fomentando o trabalho colaborativo e reflexões sobre o mesmo.

O tema a desenvolver com os alunos é "A Escola no centro" em que é definido o raio de um quilómetro sendo o seu centro a EM. Na área desta circunferência os alunos irão identificar diversos tipos de problemas e desenvolver soluções para a resolução dos mesmos. Todas as semanas durante uma aula de noventa minutos os alunos trabalham sobre o tema sendo sensibilizados para a questão do património, da identidade, da arquitetura e do território, através de pesquisas sobre o tema ou saídas de campo.

O objectivo deste projecto é sensibilizar os alunos para a importância da paisagem e do património edificado na qualidade de vida das pessoas, reconhecendo o valor dos espaços onde vivemos e preparar para os desafios que se colocam ao território, numa atitude de participação activa.

Pretende-se, sobretudo, desenvolver as competências de jovens dos 15 aos 18 anos com uma metodologia que promove nos alunos a utilização da criatividade na resolução de problemas apresentados em aula e estimula o trabalho colaborativo, o aumento de auto-estima e espírito crítico.